Fabricação de postes e luminarias tradicionais ou com sistema led.

contato@aladiniluminacao.com.br

Como funciona o processo de galvanização a fogo e a eletrolítica?

foto de Como funciona o processo de galvanização a fogo e a eletrolítica?

Passeando por nosso site percebemos que na descrição de muitos produtos consta a expressão “produzido em aço galvanizado”. Mas, afinal, você sabe o que isso significa? Conhece os processos pelos quais o metal passa e as propriedades que adquire? Sabe diferenciar a galvanização a fogo e a eletrolítica? É o que você vai descobrir neste artigo!

Primeiramente, é importante saber que a galvanização é um procedimento que tem como finalidade proteger peças metálicas da corrosão (enferrujamento). Para isso, a peça é revestida por outro metal, geralmente zinco metálico. O método pode ser realizado de duas maneiras principais: a galvanização a fogo e a eletrolítica.

Galvanização a fogo X Galvanização eletrolítica – Entendendo os processos

Galvanização a fogo

Também conhecido como galvanização por imersão ou HDG (Hot-dip Galvanizing), o processo segue 8 etapas, segundo o Instituto de Metais Não-Ferrosos (ICZ):

  1. Desengraxe - Onde materiais orgânicos, óleos e graxas são removidos da superfície da peça
  2. Lavagem - Para uma remoção mais completa dos resíduos, que podem comprometer o resultado do procedimento
  3. Decapagem – Elimina óxidos, cascas de óxidos e carepas, que não saem nas etapas anteriores
  4. Lavagem – A peça é novamente lavada, dessa vez para remover resíduos produzidos nas reações de decapagem
  5. Fluxagem – Elimina óxidos formados na decapagem
  6. Secagem – Diminui o choque térmico e reduz os respingos de zinco
  7. Imersão a quente – A peça devidamente preparada é finalmente imersa num banho de zinco líquido a cerca de 450°C
  8. Resfriamento – A peça é resfriada rapidamente para evitar uma cristalização grosseira e frágil. Um banho rápido em solução cromatizante também pode ser realizado no intuito de retardar o aparecimento da chamada “corrosão branca”.

Galvanização eletrolítica

Chamada também de galvanização a friozincagem eletrolítica e EG (Electrogalvanizing), a técnica tem a eletricidade como protagonista.

Segundo o Instituto Nacional de Distribuidores de Aço (INDA), o primeiro passo do processo é converter a corrente de alternada para contínua. Assim, é possível separar as partes positivas e negativas da corrente: Na parte negativa, são colocadas as peças. Na positiva, o metal que fornecerá os íons para a solução.

Os cátions do aço ficam dispersos na solução eletrolítica e são convertidos novamente em metal. Assim, são depositados sobre a superfície da peça, galvanizando-a.

Qual o melhor processo de galvanização?

A galvanização eletrolítica deixa uma cobertura mais brilhante, lisa e uniforme à peça, além de ser um procedimento mais barato. No entanto, por fornecer uma camada mais fina de revestimento metálico, sua proteção contra a corrosão não é tão eficaz.

Já a galvanização a fogo oferece uma camada protetora mais grossa e aderente à superfície metálica. Dessa forma, a peça permanece íntegra por um tempo superior à galvanizada a frio. O lado negativo da técnica é seu custo elevado.

Vale lembrar não há um método de galvanização mais ou menos indicado. A galvanização a fogo e a eletrolítica garantem resistência à corrosão, aderência da pintura e uma soldagem mais eficiente. A técnica mais adequada para cada caso dependerá de fatores como o tipo de peça, finalidade e orçamento.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco através do telefone (11)2219-2505 ou pelo e-mail contato@aladiniluminacao.com.br!

 

Poste de iluminação pública: Conheça os modelos que mais valorizam o espaço

É provável que você saiba que existem diversos modelos de postes de iluminação pública, mas será que sabe escolher o ideal, considerando o espaço? Se deseja conhecer algumas dicas nesse sentido, acesse o link a seguir!

Precisando de suporte para luminária pública em topo de poste, conheça os modelos da aladin iluminação

Quem está investindo em iluminação necessita de um produto de qualidade. E quando se trata das luminárias públicas, que são essenciais nos centros urbanos, é fundamental considerar que os postes precisam ser feitos de materiais resistentes e isso, é claro, também inclui os suportes localizados em seus topos. Mas, afinal, onde encontrar produtos confiáveis e que farão a diferença em sua obra?

Quais as vantagens dos postes com rebatedores?

O rebatedor, também conhecido como refletor, cumpre o papel de direcionar a luz, espalhando-a de maneira uniforme por todo o espaço desejado. Assim, locais geralmente de sombra recebem mais luz e locais muito iluminados recebem menos luz.

Quais as vantagens de postes com spots LEDs direcionáveis?

Os spots de LED têm sido utilizados como alternativa para as formas mais usuais. Eles se diferem por serem de um material que tem o perfil inerente de transformar energia em luz elétrica de forma hábil, ao contrário das lâmpadas dicroicas tradicionais, que utilizam de métodos menos eficazes. Descubra neste artigo, as principais vantagens de investir em postes com spots de LED direcionáveis.

Altura Ideal do Poste Para Iluminar Quadras Esportivas

uem não gosta de praticar esportes? Além de ser uma ótima forma de praticar exercício e manter a saúde em dia, ainda permite confraternizar com os amigos e se divertir bastante, aliviando a pressão e o estresse do dia a dia. Mas é preciso enxergar e ter muita segurança no momento de praticar o esporte. Por isso, confira a altura do poste ideal para iluminar as quadras esportivas.

Conheça os modelos de refletores ideais para campo society

Além de precisar se adequar as normas técnicas e realizar a aprovação nos órgãos administrativos e do meio ambiente, deve se analisar quais as matérias-primas que serão utilizadas, principalmente em relação ao gramado que será utilizado e a iluminação, esse último fator, muito importante para o bom desempenho no campo e para a qualidade do jogo. Sendo assim, vamos conhecer um pouco mais sobre a im

Orçamento pelo WhatsApp